JVF Empreendimentos Imobiliários

Blog

Saque do FGTS saiba como investir

Compartilhe
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Você sabe o que fazer com o saque do FGTS? Já pensou em comprar um imóvel e sair do aluguel com melhores condições de financiamento?

Recentemente, o governo federal divulgou o calendário de saque do FGTS de contas inativas. Receber essa quantia pode ser um tanto tentador e as pessoas começam a fazer mil planos de como usar. Mas, você já pensou que essa pode ser uma ótima oportunidade para investir esse dinheiro na compra de um imóvel ou em outro tipo de aplicação e obter um bom lucro.

Mesmo que você não esteja entre essas pessoas, você pode usar o dinheiro do saque do FGTS (ou parte dele) para comprar um imóvel. As vantagens de investir em um imóvel são inúmeras.

Vale lembrar que o investimento imobiliário é considerado um dos melhores tipos de aplicação, tendo em vista que os imóveis tendem a se valorizar com o tempo e poderá ser passado por gerações. Além de ser um bem palpável que estará em seu nome e que ninguém poderá tirar.

Se você mora de aluguel, esse investimento se torna mais urgente, pois o dinheiro que você paga de mensalmente ao seu locador é um dinheiro perdido que você pode usar para complementar ou até mesmo pagar integralmente o financiamento de um imóvel que irá ser seu.

Como usar o Saque do FGTS para a compra de um imóvel

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é uma quantia paga ao empregador ao funcionário que fica depositado na Caixa Econômica Federal em contas que são abertas automaticamente com o contrato de trabalho.

O FGTS foi criado pelo governo para ser uma reserva de dinheiro para o trabalhador. Contudo, esse dinheiro pode ser usado para o financiamento de habitações populares e obras relacionadas à habitação, como infraestrutura e saneamento básico. Sendo assim, para muitos, essa é a oportunidade de realizar o sonho da casa própria.

Porém, para fazer uso do FGTS para a compra de um imóvel, é preciso cumprir 4 requisitos, que são:

1. Não ter um financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH), em nenhuma parte do país;

2. Ter ao menos três anos de carteira assinada. Sendo que é importante ressaltar que esse período não precisa ser contínuo. Ou seja, você não precisa passar três anos trabalhando na mesma empresa, mas sim conta o tempo total que já trabalhou de carteira assinada;

3. Morar ou trabalhar no município que você pretende comprar o imóvel;

4. Não ser dono de um imóvel residencial na cidade em que pretende comprar um novo. Por exemplo: Se você possui um apartamento em Fortaleza, poderá comprar outro em Belo Horizonte.

Caso você cumpra esses requisitos, para fazer o saque do FGTS e investir na compra de um imóvel, é preciso documentos que comprovem que todos os requisitos acima são atendidos. Além disso, é preciso apresentar a cópia do IPTU e certidão de matrícula da casa que pretende comprar para mostrar que o imóvel está em situação regular e pode ser adquirido com o FGTS.

Com o Fundo de Garantia, é possível financiar os imóveis que fazem parte do Sistema Financeiro de Habitação. O saque deve ser solicitado por meio de um documento a um agente financeiro, que são bancos, companhias de crédito imobiliário ou consórcios.

O agente financeiro faz contato com a Caixa Econômica Federal para solicitar o saque. Assim, quando esse saque é liberado, o dinheiro é depositado na compra da pessoa que está vendendo o imóvel.

Ao fazer o saque do FGTS para fazer o investimento em um imóvel, você não lida diretamente com o dinheiro. Em média, após o pedido de saque pelo agente financeiro, demora cerca de cinco dias para o dinheiro ser liberado.

Contudo, outros processos ligados à aprovação do financiamento, podem levar um pouco mais de tempo para a aprovação. Em geral, o tempo que demora para que o processo ser concluído é de 60 a 90 dias.

Formas de investir seu FGTS no setor imobiliário

Como falamos acima, você pode usar seu FGTS para a compra de um imóvel a partir de um financiamento, desde que cumpra os requisitos listados. Essa pode ser a oportunidade de sair do aluguel e adquirir seu imóvel próprio.

Entretanto, o valor máximo dos imóveis para esse tipo de financiamento com o FGTS não pode ultrapassar R$ 500 mil.

Outro ponto importante, é que é possível sacar apenas uma parte do FGTS e deixar a outra conta no fundo. Essa pode ser uma boa precaução para em caso de perda do emprego ter uma reserva para continuar pagando as parcelas do financiamento.

Você também pode usar o FGTS para liquidar ou amortizar prestações do consórcio imobiliário. As regras para esse tipo de uso do fundo são as mesmas para a compra de um imóvel.

O consórcio imobiliário funciona como uma forma de guardar dinheiro para a compra de um imóvel. Isto é, serve como um instrumento de disciplina para fazer uma poupança. Esse tipo de recurso é indicado para quem pode esperar para fechar um negócio e comprar a casa própria e não consegue juntar dinheiro sem um incentivo.

Outros tipos de investimento para o FGTS

Caso você não cumpra um dos requisitos para investir seu FGTS na compra de um imóvel, saiba que há outros tipos de aplicações para fazer seu dinheiro depositado no fundo de garantia. Veja alguns exemplos:

1. Usar para quitar dívidas

É muito vantajoso usar o FGTS para se livrar de dívidas, em especial dos juros que correm. Se você tem um empréstimo com altas taxas de juros, como as praticadas pelo cartão de crédito e cheque especial. Dificilmente uma aplicação financeira possui juros maior do que os juros incluídos em um empréstimo.

Então se você tem esse tipo de dívida deve se livrar dela o mais rápido possível, já que é muito comum que as pessoas não consigam pagar esse tipo de dívida e acabem com o nome em cadastros de inadimplentes.

2. Fazer uma reserva para o desemprego

Se você foi mandado embora, ao invés de fazer o saque do FGTS pode fazer uma aplicação com muita liquidez para usar o dinheiro como uma reserva para despesas fixas ou emergências.

A caderneta de poupança e os Certificados de Depósitos Bancários possuem muita liquidez, já que é possível fazer a retirada a qualquer momento. Peça a ajuda do seu gerente para decidir sobre isso.

3. Complementar a aposentadoria

Você pode optar por não fazer o saque do FGTS ao longo dos anos e deixar para fazer o resgate apenas no momento da aposentadoria. Dessa forma, é possível garantir um rendimento extra para fazer uma viagem, pagar plano de saúde que aumenta de preço consideravelmente com a idade e ter uma reserva para emergências.

4. Fazer aplicação na renda fixa ou Tesouro Direto

Se você deseja criar uma reserva em longo prazo, recomenda-se fazer aplicação na renda fixa, como os CDBs.

O Tesouro Direto também tem se mostrado bastante vantajoso, por ser uma aplicação de baixo risco que paga uma taxa fixa de juros mais a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caso seja resgatado no dia do vencimento.

 
Como você viu, há inúmeras formas de fazer investimentos com o saque do FGTS. Cabe a você decidir qual o será mais vantajoso e lhe trazer mais retorno.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Deixe uma resposta