Descubra a renda mínima para financiar um imóvel

renda mínima para financiar um imóvel

Renda mínima para financiar um imóvel.Você sabe se possui ela? Confira tudo que precisa saber!

Comprar um imóvel é o sonho de muitos brasileiros. Uma pesquisa feita pelo Serasa Experian apontou que 40% dos brasileiros sonham em comprar a casa própria e não sabem qual a renda mínima para financiar um imóvel.

Contudo, esse sonho fica um pouco mais distante com a crise financeira. Mas, o que muita gente não sabe é que é possível fazer o financiamento de um imóvel e que os tempos de recessão são favoráveis para a compra, pois fazem com que os preços dos imóveis caiam.

Dessa forma, a melhor opção para a compra da casa própria seria o financiamento imobiliário, que é feito tendo como intermediário um banco, que paga ao proprietário do imóvel a quantia que comprador quer financiar.

A partir daí, para quitar a dívida, o comprador precisa firma compromisso de pagar mensalmente as parcelas ao banco. Os financiamentos costumam durar até 30 anos. As instituições financeiras lucram com esta negociação, pois ao valor financiado são acrescidos juros.

Cada banco, seja público ou privado, oferece condições específicas para o financiamento de imóveis, em relação às facilidades de pagamento, duração do contrato, taxa de juros e limite permitido do valor do imóvel a ser financiado.

O cenário atual do financiamento imobiliário

A redução das taxas de juros e a diminuição das exigências dos bancos, entre eles a Caixa Econômica Federal, fez com que o poder de compra dos brasileiros em relação à compra de imóvel aumentou.

A Caixa Econômica Federal é responsável por mais de 65% dos financiamentos de imóveis no país. O banco financia de 50% a 70% do valor do imóvel para trabalhadores privados e 60% a 80% para trabalhadores públicos. Contudo, para essas condições é preciso que esses imóveis estejam enquadrados do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e estarem na faixa de preço de até R$ 750 mil.

No SFH o comprador não pode ter outro imóvel em seu nome. Outra opção é o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) em que não há limitações para valores do imóvel. Contudo, é possível financiar de 40% a 60% do valor para trabalhadores privados e de 50 a 70% para funcionários públicos.

No SFH é possível usar o FGTS para a entrada ou pagamento de parcelas. Já no SFI não é permitido.

Qual a renda mínima para financiar um imóvel?

A renda mínima para financiar um imóvel e o valor do o mesmo, estão relacionados em alto grau. Isso porque, para financiar um imóvel, a melhor forma é compor a renda familiar, ou seja, colocar mais de uma pessoa no financiamento para aumentar o valor ao máximo, o que fará com que seja permitido o financiamento de um valor maior.

O financiamento de um imóvel é aprovado por qualquer instituição financeira seguindo a “regra dos 30%”, ou seja, o valor da parcela a ser paga mensalmente não pode ultrapassar o valor máximo de 30% da renda familiar.

Simule um Financiamento

Para fazer uma simulação de financiamento, use nossa exclusiva calculadora de financiamento.

Esta condição restringe a faixa de preço de imóveis que se enquadram, entretanto é uma forma das instituições financeiras se protegerem contra a inadimplência dos compradores.

Escolher um banco que você já é cliente também costuma facilitar no processo de aprovação de crédito para o financiamento de um imóvel. Isso porque, o banco já possui todo o seu histórico financeiro e pode dar condições melhores na negociação.

Para os não clientes do banco, há a chamada “taxa balcão”, que é uma taxa de juros com percentual maior destinada para os compradores que escolhem um banco para financiamento um banco em que não tenha relacionamento.

Dicas e planejamento para o financiamento de imóveis

Comprar um imóvel à vista, infelizmente é um luxo que poucos podem ter. Assim, o financiamento acaba sendo a saída mais viável para aquelas pessoas que não querem mais se preocupar com o aluguel.

Apresentar a documentação necessária é o primeiro passo para o financiamento imobiliário. É preciso apresentar perante o banco escolhido documentos, como: CPF, RG, declaração de Imposto de Renda e holerite (comprovante de renda).

É também de extrema importância ter o nome limpo em instituições como o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e Serasa.

Além do valor da entrada, que gira em torno de 20% do valor do imóvel, quem está interessado em um financiamento imobiliário deve atentar que os principais bancos que realizam financiamento cobram uma taxa média de 10,70%.

Nesta perspectiva, para entrar em um financiamento imobiliário, é preciso que haja planejamento para organizar o orçamento. Isso evitará com que futuramente haja problemas no pagamento do imóvel, tendo em vista que esse é um compromisso que será assumido por anos, até mesmo por décadas.

É preciso levar em consideração ainda que quanto maior o valor da entrada do financiamento, menor será as taxas de juros, as parcelas e o tempo para conseguir tirar o imóvel do poder da instituição financeira responsável pelo financiamento.

Entretanto, não se recomenda usar o valor total que se tem guardado na poupança para a entrada do financiamento e gastos adicionais. Isso porque, é sempre bom ter uma reserva financeira em caso de algum imprevisto, como a perda de emprego ou problema de saúde, por exemplo, não haja comprometimento no pagamento das parcelas do financiamento.

Durante o processo de financiamento, é possível fazer algumas negociações, como usar o FGTS para dar a entrada no imóvel ou complementar o valor que você já tem guardado.

É indicado ainda fazer uma negociação direta com o proprietário, tendo em vista que, em muitos casos, os valores divulgados são superestimados, sendo possível conseguir um bom desconto.

Além disso, como é uma transação em longo prazo, é importante atentar para a taxa de juros que o banco irá cobrar ao longo dos anos e sempre optar por aqueles que possuem as menores taxas.

Em Salvador, os empreendimentos da JVF Empreedimentos são uma boa alternativa para a compra de um apartamento sem pagar caro por isso. Vale a pena conferir!

Como simular o valor do imóvel que posso comprar com minha renda?

Para saber você possui a renda mínima para financiar um imóvel, é possível fazer a simulação do valor do imóvel que é possível financiar, capital necessário para a entrada e duração do financiamento.

Uma família com renda mensal de R$ 6 mil já se possui renda mínima para financiar um imóvel de R$ 180 mil a R$ 220 mil, a depender do banco, pagando uma entrada de até R$ 66 mil.

É possível ainda fazer a distinção do sistema financeiro a ser usado. Há duas opções: o Sistema de Amortização Constante (SAC) e a Tabela Price.

No SAC, o valor das parcelas diminui ao longo dos anos em que os pagamentos são feitos. Já na Tabela Price, que o valor sem mantém fixo ao longo dos anos.

No SAC a amortização maior será no começo do contrato, onde a primeira parcela é em média 25% maior que na Tabela Price.

Independente do sistema de amortização escolhido, o contrato de financiamento pode sofrer correção monetária que pode ser prefixado (atrelada a um índice de mercado) ou pré-fixado (estimado pelo bando, sendo maior que as taxas pós-fixado).

Quer saber se você tem renda mínima para financiar um imóvel? Faça uma simulação de financiamento de imóvel levando em consideração o valor do imóvel, valor da entrada, número de parcelas, taxa de juros do banco, sistema financeiro e entre outros fatores? Conheça a nossa Calculadora de Financiamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *